A Aventura do Flying Circus



Este ano foi atípico, vamos convir, nesta tasca virtual. Acontece. Adiante, melhores dias virão.


Ainda assim, não querendo fazer o tradicional -  este ano será nisso também uma excepção - resumo do ano tuneril, até porque não haverá nada de especialmente relevante, vou focar nesta "Aventura" algo que há muito venho afirmando e que seria sempre uma questão de tempo: Pelos vistos, foi este ano.

É sobre algo altamente inflacionado na sua real importância - e só por essa desmesurada e inexplicável inflação que abordo tal - e que este ano me merece umas rápidas headlines:

1. Num cenário que se repete ano após ano a coerência manteve-se: Se não é o original, é a fotocopia deste. Ok.



2. Dando uma voltas atentas no Facebook, vêm-se as comadres zangadas quando antes tão amigas eram. Agora dizem - instados sobre se voltarão para o ano - "ou não….".

3. Há coisas que mesmo clamadas mil vezes como sendo algo "extraordinário" nunca passarão, por força da realidade, daquilo que realmente são. Viver à custa da fama passada não é sinónimo de rentabilidade no presente. Exagera-se, Mistifica-se, Eleva-se à condição de "único": Na prática, é só mais um, neste caso com laivos de pseudo-originalidade que oscila entre o franco mau gosto e o kitsh. Opções, enfim. Uma coisa é muito boa até ao dia em que deixa de o ser; neste caso, faz anos que deixou.

4. Sou defensor da sobriedade no meio tuneril. Tolero até alguns excessos próprios de contextos únicos e específicos, ok. Mas de facto, há coisas que não são excepção mas antes a regra, passando assim à condição de excepção a normalidade, o que indicia algo, no limite, de anormal. Mais uma vez, opções.

5. Sim, em casa de cada um manda o seu dono. Nada de mais certo. Por essa mesma razão é que - e no caso - está ao sabor do livre escrutínio dos outros. Não são só as palmas que fazem parte do espectáculo e muito menos evento algum tem o monopólio das mesmas.


"Quem com ferros mata, com ferros morre", diz o Povo. Também há um outro ditado que reza "Quem nasce Cebola morre Cebola". E pronto, é isto.


Postada esta mera curiosidade sazonal, resta-me desejar Boas Festas a todos.

Comentários

Mensagens populares