A Aventura do Passadismo Militante....

Quiçá, uma das heranças mais perniciosas do "boom" - e do imiscuir da Praxe na Tuna estudantil - é o tremendo culto do passadismo militante como profissão de fé e por parte de muito boa gente, que não consegue - ou por imaturidade, ou por defeito de formação académico/praxista - distinguir claramente duas coisas que nada têm  a ver uma com a outra: Saudade com Saudosismo.

O Saudosismo - na vertente Passadismo Militante - e nas tunas universitárias nacionais é uma profunda aberração da natureza; Achar-se porventura que tudo deveria ser como antes era, quando hoje as coisas são por si mesmas distintas, como é fácil de perceber, é um erro tão absurdo como querer-se, por hipótese, que se passe a usar as SCUTs apenas para carroças com tracção animal. O Saudosismo faz-me lembrar aquele reality show britânico que fecha numa casa da época Vitoriana malta de hoje, sem electricidade, água corrente e outros confortos da nossa época, com a diferença que, aqui, nesta "second life" só vai quem quer. O Passadismo Militante não, é tipo infecção, primeiro que se largue tal noção é um dia de juízo, difícil de extinguir como todo o saudosismo o é por génese, pejado de saloiada e cravejado de pretensa legitimidade histórica que regra geral é bradada por quem...não a viveu, sequer, limitando-se a reproduzir qual papagaio o que ouviu antes de alguém; ou seja, aquilo que vemos grosso modo na transmissão da intitulada Praxe entre estudantes: fazem o que vêm fazer e dizem o que ouvem dizer; pensar naquilo tudo, tá lá quieto que dá trabalho. O Saudosismo - ou Passadismo Militante - está portanto para a tuna estudantil como a Troika para as finanças deste país: Dá 1º o presunto para ir buscar o porco depois, alimentando-se disso mesmo. O Saudosista tuneril hoje corresponde a 99, 5% dos tunos portugueses, sem favor algum o afirmo.São os que cavalgam o passado para tentar uma legitimação que, nuns casos, se dispensa por existente e noutros se dispensa por absurdamente ridícula, até.

Saudade já é outra coisa bem distinta, completamente distinta. Bem mais romântica, ao jeito da essência tuneril de sempre, até se virmos pelo prisma histórico da evolução tuneril. A Saudade é o catalisador do futuro, se quisermos colocar as coisas num prisma saudável - outra coisa que falta ao mundo da tuna, salubridade mental. A Saudade é sempre algo intimamente relacionado com o futuro, pois pode potenciar o melhor de nós pelas recordações positivas, ensinamentos, lições que trazemos de antes. A Saudade é a elevação do que de melhor temos, pelo que fomos antes, projectando o que virá da melhor forma possivel. A Saudade sente-se; o Saudosista reproduz. A Saudade está cá dentro; o Saudosismo é importado. A Saudade faz bem; o Saudosismo corroí e mata. A Saudade é positiva; o Saudosismo é mau.

Ter Saudade de algo é um atestado de vida, até numa tuna. Ser-se da Tuna X e ter-se saudades delas porque a vida hoje não nos permite lá estar é algo bom, faz bem, porque a saudade potencia um relacionamento saudável sempre que há reencontro. O Saudosismo não, é uma espécie de campo de concentração Nazi onde se repetem, todos os dias, os mesmos rituais, estejamos lá ou não, bastando para isso ter-se feito parte e basta. O Saudosista, regra geral, é um tuno sempre em conflito consigo mesmo e depois sempre em conflito com os outros apenas porque são...outros. O Saudosista ou Passadista Militante, basicamente, é um desgraçado que não aproveitou o que tinha e não sabe lidar com o que tem, montando-se em cima de algo para o qual nada contribuiu. Já o que tem Saudade da tuna, esse sim, até pode um dia voltar mas sabe que nunca será da mesma forma, maneira e feitio, que será sempre...diferente. Porque guardou um tempo que, por ser único, é irrepetivel, E sabe disso. Coisa que o Saudosista não sabe nem nunca saberá.

Há muito Passadismo Militante na tuna portuguesa. Demasiado. Mais até - pasmem ou não - que na clássica, ortodoxa e vetusta Tuna espanhola.

Comentários

Mensagens populares