A Aventura da Teima das Pitas....

Confesso, pedi este titulo emprestado à História vetusta e limpa da nossa Academia - obrigado, João Caramalho pelo magnifico legado que nos deixas no Porto Académico e é pena realmente que muitos não o leiam, provavelmente porque nem a 4ª classe fizeram...adiante.

Hoje apanhei no FB uma pita a querer festa avec moi . Não, não era isso que estão a pensar. De todo. A pita foi pró Facebook defender o "magnum" e no que toca aquela cena lamentável que ocorreu na noite da Monumental Serenata da Queima das Fitas da Academia do Porto - não, não era a Monumental Serenata do "magnum", era mesmo da Academia, tão a ver a diferença??

A pita seguramente é a imagem clara e concreta, infelizmente, daquilo em que transformaram esses cretinos a "nossa" Academia. Sim, entre aspas minha, como sempre a considerei; não é um sentimento de posse mas sim de pertença. Ainda bem que me sinto parte dela, desde sempre. Os cretinos acham que são donos dela. Não precisam das aspas para nada. Nesse aspecto sempre lhes gabei a frontalidade, até porque é única altura em que são frontais, quando zurram bem alto "isto é tudo nosso!". Não, não é. Se fossem praxistas a sério saberiam que não é assim.

A pita alegou que a "praxe não se discute online" e tem razão; aliás, não se trata aqui de falar da PRAXE nem essa está em causa, antes e sim quem se apoderou dela, a roubou e tomou para si como sendo o seu instrumento - á falta de cultura para tocar outros - de manipulação de massas. A pita não sabe - porque é pita... - que aquilo que excretou da boca para fora é uma lavagem cerebral que é feita aos - poucos - que ainda vão caindo nestas esparrelas. A pita alegou que até, pasme-se, até há no "magnum" quem perceba de musica porque foram "ex-orfeonistas": Curioso, desde os tempos de Cunhal que não via cassete tão bem decorada. Coisas de pita, ouve o que lhe dizem, como os papagaios fazem, e depois palra à "malta" - "esqueceu-se" foi de dizer que pelo menos um deles foi caloiro e andou basicamente a carregar instrumentos por manifesta falta de capacidades musicais, ao que se sabe. Esquecimentos, vá, normal nas pitas! Depois de teimar a pita retira-se apagando os posts que colocou, à boa maneira do "magnum", ou seja, à cobardia: Profile match!

A Teima da Pita é, afinal, a caricatura fiel daquilo em que se transformou a "nossa" Academia, meus senhores/senhoras.


Depois de - mais - esta (para quem tem memória curta lembro o que foi o ultimo ano, a perseguirem as tunas da Portucalense e afins e todos os episódios conexos e amplamente conhecidos.) acabou-se as meias tintas. Há que dizer o que se passa e tem vindo a passar e as razões, sem tretas ou meias palavras:

A motivação desta gente é pelo menos obscura, que não a percepção, essa bem clara: Percebendo que já não tem a Praxe (seus organismos ditos dela, entenda-se) o eco e adesão que em tempos teve - e com tudo o que isso significa até a nivel de negociatas e afins, algumas delas obscuras - viraram-se para a prepotência, tentando com ela dominar aqueles estudantes que nas suas actividades conseguem congregar gente em seu torno, em doses maçiças e ao longo de todo o ano, como sendo por exemplo as Tunas, Grupos de Fado e afins (podiam ter-se virado para o Andebol universitário ou Xadrez mas mas não, vá-se lá saber porquê, não é?). Curiosa esta noção de posse também sobre as tunas mas que não sobre o Xadrez universitário.

A somar a tudo isto uma guerra intestina no seio do auto proclamado "magnum" , com gente que nem inscrita está nas suas Faculdades (é só googlar! Como é que tal é possível???) que não é inocente, guerra essa, a tudo o que se tem vindo a passar. Um cenário onde se cruzam uma série de coisas que nunca foram ditas abertamente por ninguém quando todos sabiam e sabem o que se passa. Não é de hoje, sequer, o conhecimento empirico que nos diz claramente qual a dimensão da máquina de fazer dinheiro que são os Conselhos de Veteranos de quase todas as casas da Academia, em conivência com muitas A.E.s e similares. Vejam p.ex. o preço dos kit´s de caloiros e da Queima por essa Academia fora e retirem as vossas conclusões. A F.A.P. está metida neste processo até ao pescoço e para legitimar-se e legitimar apenas as Noites da Queima (que negócio este, meus senhores!!) sem grandes alaridos: Uma espécie de "eu aturo-vos mas vocês não me chateiam"; haja mama para todos. Tudo isto à custa do Estudante. Olhem, da pita. O F.I.T.A. há muito que está entregue à bicharada, só mudam os bichos e pouco mais, agora com uma adenda, os amigos das pitas é que decidem quem lá vai tocar e não vai tocar. Simples. Escolhem-se tunas por todas as razões obscuras e mais alguma. Simples outra vez. Como é possível um grupo de gajos surdos (com respeito por quem padece de tal deficiência) decidirem quem é que toca e canta melhor quando as escolhas estão feitas antes de ouvirem seja quem seja?

É uma O.P.A. Hostil do actual "magnum" às forças vivas estudantis da Academia, às que realmente mexem, às que realmente trajam o ano inteiro de forma completamente desinteressada - ao contrário dessas alminhas cuja contribuição para o todo é tão difícil de encontrar como será haver uma virgem num bordel .

Conclui-se: É preciso um PREC Praxistico; Arrumar com eles e para ontem. Quem tem medo da verdade??

Tudo isto é apenas o principio do fim. Deles. Acredite quem quiser. Quem começou isto tudo - e não foi agora que começou - sabe porque o fez e com quem o fez.


Não sou a favor de violência. Mas as minhas ultimas palavras são para o grande Zé Costa que cumpriu com a Tradição Orfeónica. Sim, caso não saibam honrou os pergaminhos da casa que representou e representa, ao honrar a memória do grande Álvaro de Sousa, da Tuna Académica do Porto no ano de 1897,  Tuno esse que, segundo o Oficio datado de 14 de Fevereiro desse ano, enviado pela Tuna ao Presidente da Academia de Santiago de Compostela, informou da ida da Tuna Académica do Porto ao Carnaval de Santiago desse ano, sendo que na sua composição indicou os nomes dos Tunos que iriam à mesma digressão, bem como a sua respectiva função na Tuna.
Eís, pois, a de Alvaro de Sousa constante na infografia então indicada (vide Jornal "O Tripeiro" nº5 - Setembro 1951 - V Série - Ano VII, do qual possuo uma cópia):


Álvaro de Sousa - violão, pandeireta e pancadaria.


Sim, grande Zé Costa! Cumpriste a Tradição! Só se perderam as que não deste! Honra à memória de Álvaro de Sousa! Dvra Praxis Sed Praxis! Vamos, malta, vamos todos à Teima das Pitas!!!!!!!!!!!!!!



Comentários

Cantanhede disse…
Fui aprendiz de Tuna em 94 e Tuno durante 7 magníficos anos nessa garbosa Academia e entristece-me sobremaneira, ver que a podridão não só persiste como piorou! Por isso é que as Tunas e os Tunos do Porto foram durante décadas algo aparte desta "merda" que sempre foi o Magnum e a FAP! A nossa missão sempre foi elevar a Academia e não levá-la ao lodo como estes FDP... Grande post, cumprimentos!

Mensagens populares